terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Como montar um Altar ?





O que é necessário para montar um altar?

Primeiramente vamos considerar o altar em si, ele pode ser desde uma plataforma de madeira de 50cm de largura e 50cm de comprimento tendo 12cm de altura ou ainda uma prateleira de aproximadamente 20cm por 50cm que deverá estar à altura do peito da pessoa sentada no chão. O importante é que ele esteja ao alcance das mãos para fazer os procedimentos necessários. Ele deve ficar na parede Norte ou Leste do cômodo.

As representações mais comuns da Deidade podem ser um pôster, uma Murti (pequena estatueta) ou um Yantra (desenho geométrico feito numa placa de metal). A Deidade principal (Ishta Devata) tem destaque sendo geralmente a maior e em posição central. As demais são arranjadas em torno desta. Sobre esta plataforma ficam apenas as Deidades. Os demais itens podem ser colocados sobre um tapete em frente ao altar.

Os artigos fixos de altar, ou seja, aqueles diretamente usados nos rituais são: uma ou duas pequenas bases de granito negro ou mármore(15cm X 15cm), um vasilhame de metal (cobre) com capacidade de aproximadamente 100ml, uma pequena colher (como as de café), pequenos tachos ou pires de metal (preferência pelo cobre), um JapaMala (rosário de 108 contas), um sino, uma lamparina de óleo (ou, na ausência, um castiçal médio) e um incensório.


Sobre o uso de cada um dos itens:

Bases de granito – para desenhar os Yantras que servem de alicerce para os vasilhames rituais. Este procedimento extremamente simbólico é chamado de Samanyarghya”. Estes Yantras são desenhados com pasta de sândalo, Kumkuma ou apenas agua, caso os outros itens não estejam disponíveis.


Vasilhame de metal - para estabelecer o “Samanyarghya” (as águas gerais) que serão usadas no rito. Nele serão colocados alguns grãos de arroz, um pouco de pasta de sândalo e de Kumkuma e cânfora. Normalmente os Tantricos usam o Kosha (vide foto).    
 


Colher – para despejar as oferendas liquidas dentro dos tachos ou pires dedicados à Deidade.
Tachos ou Pires de metal – para receber as flores ou grãos de arroz que são usados nas Pujas comuns do dia-a-dia, a água das oferendas liquidas também é despejada aqui.

Japamala – é o rosário Indiano com 108 contas usado para recitar Mantras.


Sino (Ghanta) – usado no Arati, é uma das grandes armas da Deusa. Representa o Mantra “Hum” que absorbe todas as coisas, garante defesa e proteção espiritual.

Lamparina ou castiçal – para acender uma luz no início dos ritos, esta é apagada (sem assoprar!) ao final e será reacesa na próxima Puja.

Incensório – para a oferta de incenso sempre que necessário, um no inicio do rito e outros para cada Deidade especifica.

Os artigos opcionais, de apoio, ou seja, aqueles que ficam próximos ao altar para facilitar o andamento das cerimônias: uma jarra (preferência de metal) com capacidade de uns 600ml, vasilhames com tampa, tapete (+/- 80cm X 40cm), pequeno vasilhame de cobre (+/- 60ml), bandejas.

Jarra – é usada para trazer a água necessária ao altar, nenhum outro objeto ritualístico deve ser preenchido diretamente da torneira.

Vasilhames com tampa – um para manter os grãos de arroz (Akshata) que podem substituir qualquer outra oferenda durante uma Puja; dois outros, um para a pasta de sândalo e outro para Kumkuma. A auspiciosa pasta de sândalo é feita umedecendo-se o pó de sândalo até obter uma consistência adequada, o mesmo é feito com o pó de Kumkuma (pó vermelho).

Vasilhame de cobre – este pequenino vasilhame é usado para “Achamanyam” – a purificação da fala do sacerdote. Não deve ser usado para nenhum outro fim. (Vide foto)


Bandejas – serão usadas sempre que conveniente para que os artigos usados nas Pujas não entrem em contato direto com o chão.

Tapete – é usado para estabelecer o Asana, ou seja, o espaço onde o adorador ficará sentado durante o ritual. Este tapete é colocado sobre um Yantra desenhado com sândalo ou Kumkuma.






Uma sugestão muito importante para aqueles que moram em apartamentos ou em grandes cidades: manter um vasilhame com tampa na direção nordeste do altar (este é o Nirmala Patra) para despejar os restos do que foi usado numa Puja como os grãos de arroz que foram oferecidos no pires, cinza e varetas de incenso, restos de flores etc... O conteúdo deste vasilhame deve ser periodicamente esvaziado ao pé de uma arvore frondosa ou ainda (por ser totalmente biodegradável) numa correnteza ou no mar. Observe porém que as frutas e outros artigos comestíveis que foram oferecidos não irão para o Nirmala Patra, estes artigos são “Prasada” e devem ser partilhados ao final de cada cerimônia.

Nenhum comentário: