domingo, 16 de setembro de 2012

Kaula Puja - Ritual



kaEl pUja

Kaula Püjä



Toda puja é realizada através de procedimentos tradicionais passados através das gerações, esses procedimentos podem sofrer considerável variação, de acordo com o Sampradaya (a tradição) do devoto ou do Pujari (do sacerdote) responsável. Neste pequeno manual seguiremos as regras básicas estabelecidas pela tradição Kaula do Tantrismo Hindu, de forma que uma versão simplificada de uma Puja possa ser feita.
Tradicionalmente a Puja pode ser realizada em três esquemas distintos: Panchopacara, Dashopacara ou Shodashopacara, ou seja, a puja realizada com cinco elementos, dez elementos ou dezesseis elementos (vide MahaNirvana Tantra capítulo 13, versos 203 ao 206).

A Puja deve ser precedida por etapas preliminares que são descritas abaixo. Estas etapas são comuns à todas as Deidades que possam ser adoradas, elas são os preparativos para a puja , ou seja, as etapas necesssárias antes da cerimonia propriamente dita.


Preliminar 1. Achamanya – a limpeza ritual dos lábios que deve ser feita antes de realizar uma Sadhana ou pronunciar Mantras.
Cada Mantra é recitado e então coloca-se um pouco de água na mão direita e oferece-se aos lábios, tocando-os. Repete-se o processo com os três Mantras.
 आत्मतत्त्वाय स्वाहा      om ātmatattvāya svāhā - OM, Eu saúdo a essência da alma individual
 विद्यातत्त्वाय स्वाहा      om vidyātattvāya svāhā - OM, Eu saúdo a essência do conhecimento Tantriko (Vidya)
 शिवतत्त्वाय स्वाहा      om śivatattvāya svāhā - OM, Eu saúdo a essência do Senhor Shiva


Preliminar 2. Samanyarghya – Estabelecimento das aguas de oferecimento.
Em frente, ou à esquerda do local onde será realizado a Puja deve-se instalar o Samanyarghya (oblação universal), ou seja, as águas que serão utilizadas durante toda(s) a(s) cerimônia(s). O oficiante deve desenhar um triângulo, em torno dele um círculo e em torno deste um quadrado sobre uma superfície lisa (pode-se utilizar suportes de granito negro, mármore ou metal) para isso deve usar seu anelar direito (ou o polegar) umedecido em pasta de sândalo, Kumkuma ou apenas água pura. Deve em seguida adorar o Yantra desenhado com flores, folhas e grãos, utilizando os seguintes Mantras :
 आधारशक्तये नमः       om ādhāraśaktaye namaḥ
 कूर्माय नमः       om kūrmāya namaḥ
 अनान्ताय नमः       om anāntāya namaḥ
 पृतिव्यै नमः       om pṛtivyai namaḥ

Deve-se então tomar o vasilhame principal e purificá-lo com o Bija Mantra: “Phat”  (फट्) , colocando-o então sobre o Yantra. Utilizando-se de um segundo vasilhame cheio de água, deve-se preencher o vasilhame principal (aquele sobre o Yantra) , recitando :
 गङ्गे  जमुने चैव गोदावरि सरस्वति  
नर्मदे सिन्धु कावेरि जलेऽस्मिन् सन्निन्धिं कुरु  ॥
om gaṅge ca jamune caiva godāvari sarasvati   |
narmade sindhu kāveri jale'smin sannindhiṁ kuru   ||

Pode-se então lançar flores, folhas, perfume, jóias (ouro e prata), pedras preciosas e grãos de cevada e/ou arroz dentro do vasilhame. Deve-se então recitar dez vezes o Maya Bija Mantra “Hrim”  (ह्रीं)  sobre o conjunto. 
* O Saddhaka realiza então as Mudras corespondentes.

Preliminar 3. Dvara Puja – A Puja do portal. Esta adoração visa estabelecer os limites do local de adoração e protege-lo para que forças indesejadas não obstruam o rito e não comprometam o resultado almejado.
Saúda-se as oito Matrkas, que são as Shaktis envolvidas nas batalhas espirituais descritas no Chandi Path. Esta saudação é feita oferecendo-se um pouco de agua sobre o solo ou sobre um pequeno pote de barro.  Os Mantras são:
ॐ ब्रह्मन्यै नमः          om brahmanyai namaḥ 
ॐ वैष्णव्यै नमः          om vaiṣṇavyai namaḥ
ॐ महेश्वर्यै नमः          om maheśvaryai namaḥ
ॐ कौमार्यै नमः          om kaumāryai namaḥ
ॐ वराह्यै नमः          om varāhyai namaḥ
ॐ इन्द्रन्यै नमः         om indranyai namaḥ
ॐ चमुण्डयै नमः       om camuṇḍayai namaḥ
ॐ नृसिम्ह्यै नमः         om nṛsimhyai namaḥ
* O Sadhaka sauda também os protetores da tradição Tantrika.
* Então purifica-se o solo com o Mantra correspondente.


Preliminar 4. Devata Pranam – Saudação às Deidades. Aqui temos as saudações às principais Deidades do Sanatana Dharma. O Tantrico não é sectário e inicialmente presta reverencias às cinco grandes formas  que a Divindade assume no Dharma (PañchaYatana): Ganesha (na direção sudoeste), Surya Deva (ao noroeste), Shri Vishnu (ao nordeste), Shri Shiva (ao sudeste) e Shakti Devi (a Deusa, ao centro). Essa forma de adoração é mantida pela elite sacerdotal desde tempos imemoriais e foi amplamente divulgada pelo sábio Shri Sañkaracharya durante suas peregrinações. Após as cinco Deidades (Pañcha Devata) seguem-se mais algumas formas pertinentes.

श्रीमन्महागणाधिपतये नमः       śrīmanmahāgaṇādhipataye namaḥ - Saudações a MahaGanapati.
लक्ष्मीनारायणभ्यां नमः       lakṣmīnārāyaṇabhyāṁ namaḥ - Saudações à Lakshmi e Vishnu.
उमामहेश्वराभ्यां नमः          umāmaheśvarābhyāṁ namaḥ - Saudações à Parvati e Shiva.
वाणीहिरण्यगर्भाभ्यां नमः    vāṇīhiraṇyagarbhābhyāṁ namaḥ - Saudações à Sarasvati e Brahma.
शचीपुरन्दराभ्यां नमः         śacīpurandarābhyāṁ namaḥ - Saudações à Indra e sua esposa.
मातापितृभ्यां नमः              mātāpitṛbhyāṁ namaḥ - Saudações à minha Mãe e meu Pai.
इष्टदेवताभ्यो नमः               iṣṭadevatābhyo namaḥ - Saudações à Deidade preferida (Ishta Devata) de cada um dos presentes.
कुलदेवताभ्यो नमः             kuladevatābhyo namaḥ - Saudações à Deidade familiar de cada um dos presentes.
ग्रामदेवताभ्यो नमः          grāmadevatābhyo namaḥ - Saudações à Deidade protetora deste “bairro”.
वास्तुदेवताभ्यो नमः        vāstudevatābhyo namaḥ - Saudações à Deidade protetora do solo.
स्थानदेवताभ्यो नमः        sthānadevatābhyo namaḥ - Saudações à Deidade protetora desta região.
सर्वेब्यो देवेभ्यो नमः        sarvebyo devebhyo namaḥ - Saudações à todos as Deusas e Deuses.
सर्वेभ्यो ब्रह्मणेभ्यो नमः    sarvebhyo brahmaṇebhyo namaḥ - Saudações à todos os sacerdotes.


Preliminar 5. Shodana resumido – Com a agua preparada pelo Samanyarghya realizam-se algumas purificações chamadas de Shodhana. Basta aspergir a agua sobre o local ou item à ser purificado: a. Bhu Shuddhi – purificação do solo; b. Asana Shuddhi – purificação do local onde se senta; c. Dravya Shuddhi – purificação dos itens e oferendas rituais; d. Bhuta Shuddhi – purificação dos elementos do corpo.
 
Dhyanam – A Deidade que receberá a Puja é visualizada e o respectivo verso de meditação pode ser recitado nesta hora. Caso o verso não seja conhecido apenas o Gayatri Mantra correspondente pode ser recitado três vezes. Neste momento lembramos que toda Deidade tem três aspectos principais: um aspecto criativo (Rajas Guna), um aspecto preservador (Sattvas Guna) e um terceiro, inercial, que tende ao repouso (Tamas Guna).

Murti Shodana – Purificação da representação da Divindade que usaremos como foco para nossa atenção. Aspergir um pouco de agua sobre a representação (Murti), que pode ser um pôster, uma estatua, um Yantra etc, e recitar:
स्नन्यम् देव ते तुभ्यम्       snanyam deva te tubhyam + Mula Mantra da Deidade adorada


Puja

Teremos como exemplo uma Puja dedicada ao Senhor Shiva. Caso o devoto deseje realizar uma Puja à alguma outra Deidade basta seguir o modelo apresentado e alterar apenas o Mula Mantra, ou seja, o Mantra principal (que neste caso é “Om NamaH Shivaya”). Esta Puja pode ser realizada em seu aspecto puramente devocional (como Nitya Karma) ou como Kamya Karma para a obtenção de paz de espírito, sucesso em práticas meditativas e fertilidade em assuntos materiais (obtenção de filhos, opulências etc... )

Puja.01 - Asanam
Utilizando flores, folhas ou grãos de arroz , oferecer um assento à Deidade .
 नमः शिवाय आसनं समर्पयामि       om namaḥ śivāya āsanaṁ samarpayāmi

Puja.02 - Svagatam
Utilizando flores, folhas ou grãos , colocando-os em frente à Deidade, dar boas vindas :
 नमः शिवाय स्वागतं समर्पयामि       om namaḥ śivāya svāgataṁ samarpayāmi

Puja.03 - Padyam
Tomando com a colher um pouco de água e lançando-a aos pés da Deidade, oferecer água para a limpeza dos pés :
 नमः शिवाय पद्यं समर्पयामि       om namaḥ śivāya padyaṁ samarpayāmi

Puja.04 - Arghyam
Utilizando a água , oferecer água sobre a cabeça da  Deidade :
 नमः शिवाय अर्घ्यम् समर्पयामि       om namaḥ śivāya arghyam samarpayāmi

Puja.05 - Achamanyam
Utilizando água , oferecer água para a limpeza dos lábios da Deidade :
 नमः शिवाय अचमन्यं समर्पयामि       om namaḥ śivāya acamanyaṁ samarpayāmi

Puja.06 - Madhuparkam
Utilizando uma mistura de iogurte, ghee e mel, ou apenas água, oferecer Madhuparkam (oferenda especial) à Deidade :
 नमः शिवाय मधुपर्कं समर्पयामि       om namaḥ śivāya madhuparkaṁ samarpayāmi

Puja.07 - Punarachamanyam
Utilizando água, oferecer novamente água para a limpeza da boca da Deidade :
 नमः शिवाय पुनरचमन्यं समर्पयामि       om namaḥ śivāya punaracamanyaṁ samarpayāmi

Puja.08 - Snanam
Oferece-se então "banhos” à Deidade, sempre em número ímpar, podendo-se oferecer em seu significado literal ou substituí-los por água. Sendo aceitos : água pura, leite, iogurte, ghee, mel, vinho e etc.
 नमः शिवाय स्नानं समर्पयामि       om namaḥ śivāya snānaṁ samarpayāmi

Puja.09 - Vastram
Utilizando-se um tecido, folhas, flores ou grãos, oferecer trajes para a Deidade :
 नमः शिवाय वस्त्रं समर्पयामि       om namaḥ śivāya vastraṁ samarpayāmi

Puja.10 - Bhushanam
Utilizando-se jóias, flores, folhas ou grãos , oferecer ornamentos à Deidade :
 नमः शिवाय भूषणानि समर्पयामि       om namaḥ śivāya bhūṣaṇāni samarpayāmi

Puja.11 - Gandham
Utilizando-se pasta de sândalo, óleo perfumado, flores, folhas ou grãos, oferecer essências à Deidade :
 नमः शिवाय गन्धं समर्पयामि       om namaḥ śivāya gandhaṁ samarpayāmi

Puja.12 - Pushpam
Oferecer flores, folhas ou grãos à Deidade :
 नमः शिवाय पुष्पं समर्पयामि       om namaḥ śivāya puṣpaṁ samarpayāmi

Puja.13 - Dhupam
Oferecer incenso, folhas ou flores ou grãos à Deidade :
 नमः शिवाय धूपं समर्पयामि       om namaḥ śivāya dhūpaṁ samarpayāmi

Puja.14 - Dipam
Oferecer uma lamparina que pode ser substituida por flores, folhas ou grãos.
 नमः शिवाय दीपं समर्पयामि       om namaḥ śivāya dīpaṁ samarpayāmi

Puja.15 - Naivedyam
Utilizando-se frutas, ou apenas grãos de arroz, oferecer alimento à Deidade :
 नमः शिवाय नैवेद्यं समर्पयामि       om namaḥ śivāya naivedyaṁ samarpayāmi

Puja.16 – Arghya final
Oferecer água para a Deidade:
 नमः शिवाय अर्घ्यम् समर्पयामि       om namaḥ śivāya arghyam samarpayāmi

Ao final da Puja os participantes devem recitar o Mantra da Deidade 108 ou 1080 vezes. A Puja externa num contexto Tantriko é uma disciplina espiritual que preparará o adepto para as disciplinas mais avançadas quesão realizadas internamente. O foco se mantém em práticas mentais que ajudem à nos concentrar – portanto o Japa (recitação de Mantras) é prioritário à Bhajanas (canticos devocionais).

Ao celebrar-se a Puja de cinco elementos somente os passos de Puja.11 até Puja.15 serão realizados; na Puja de dez elementos os passos de Puja.03 à Puja.07 e aqueles de Puja.11 até Puja.15 devem ser realizados. Todas as ações preliminares devem ser realizadas, porém, na adoração à mais de uma Deidade, estas devem ser feitas apenas uma vez .

Este roteiro se ateve ao mais básico possivel para realizar uma Puja. Vários aspectos não foram mencionados aqui: as saudações iniciais, os Mantras de meditação na forma da divindade, os Mantras para estabelecer o Asana, o Shloka completo (verso Mantrico) para oferecer cada um dos 16 elementos ... Estes podem ser aprendidos depois de estar familiarizado com o básico apresentado aqui. As instruções sobre a simbologia de todo o procedimento assim como as visualizações pertinentes são passadas apenas pessoalmente. Jaya Maa.