domingo, 10 de junho de 2012

Mantra Siddhi & Purashcharana




Mantra Siddhi & Purashcharana



Cada Mantra possui uma energia intrínseca determinada pelo seu Mantra Chaitanya, ou seja, pela consciência ou Bhavana (humor) que habita o Mantra. A conquista desta consciência e a capacidade de utilização efetiva do Mantra é o que é geralmente chamado de Mantra Siddhi (o sucesso na aplicação de um Mantra).

Com um exemplo simples talvez a idéia fique um pouco mais clara, digamos que o Sadhaka deseje obter Mantra Siddhi de um Mantra associado à saúde. Ele deverá recitar o mantra pelo numero mínimo determinado, de forma à conseguir projetar efetivamente a energia do Mantra (Mantra Shakti) e facilitar o processo de cura de um doente ou abençoar uma pessoa comum para que ela tenha uma saúde robusta.

O processo pelo qual um Mantra é tornado eficaz (Siddha) para o uso de  um determinado adepto é chamado de Purashcharana. O verso 8 do capitulo 15 do Kularnava Tantra nos dá as indicações para ter sucesso neste procedimento:

पूजा त्रैकालिकी नित्यं जपस्तर्पणमेव च।
होमो ब्राह्मणभुक्तिश्च  पुरश्चरणमुच्यते॥ ८॥
pūjā traikālikī nityaṁ japastarpaṇameva ca |
homo brāhmaṇabhuktiśca puraścaraṇamucyate || 8 ||

“ A adoração nos três horários determinados, a recitação diária, as oblações, a cerimonia de fogo e a satisfação de Brahmanes são as etapas do Purashcharana. “

A adoração nos três horários determinados se refere ao Sandhya Vandanam que é um Nitya Karma, ou seja, uma atividade que deve ser realizada diariamente. O Sandhya Vandanam possui um forma Védica (Vaidika) e uma forma Tantrica (Tantrika), ambas podem ser realizadas caso o adepto seja qualificado. Este procedimento é um pré-requisito à todas as demais atividades rituais do dia e, portanto, é indispensável. A recitação diária se refere ao Japa; as oblações são o Tarpana feito com o Mantra que é objeto da Sadhana durante os três horários do dia; a cerimonia de fogo é o Homa onde o Mantra praticado será recitado junto com a interjeição ritual “Svaha”. Por fim, Brahmana Bhukti é o ato de satisfazer aos Brahmanes, geralmente através de refeições que lhes são servidas.

Existe uma proporção especifica à ser adotada nesta sequência de procedimentos. O Mantra é recitado um determinado numero de vezes, digamos por exemplo, 3.000. Um décimo deste valor, ou seja, 300 é o numero de vezes que os itens rituais devem ser oferecidos ao fogo durante o Homa. Um décimo do numero de oferendas ao fogo (Ahutis) é feito em Tarpana, ou seja, 30 Tarpanas (oblações) com a recitação do Mantra. Um décimo deste numero será a quantidade de Brahmanes à serem servidos, ou seja, 3.

Na prática o adepto fará 30 oblações (Tarpana) com o Mantra à cada horário do SandhyaVandanam – manhã, meio-dia e por-do-Sol. Durante o dia selecionará seu tempo livre para cumprir as 3.000 recitações diárias prescritas que podem, entretanto, ser divididas em vários intervalos. Em geral à noite, fará um Homa com 300 oferecimentos (de ghee ou do item prescrito) ao fogo sagrado. O Brahmana Bhukti pode ser um almoço, jantar ou até mesmo um belo lanche servido aos convidados – três segundo nosso exemplo. Desta forma, em apenas 10 dias, um Sadhaka determindo poderá colher os frutos da recitação do Mantra feita 30.000 vezes. Todo este processo pode ser dividido de forma proporcional para que seja viável á rotina semanal do interessado. Desta  forma a realização do Mantra Siddhi levará mais dias conforme o esforço dedicado à esta disciplina.

Durante o Chakra Puja há uma grande oportunidade de acelerar todo este processo, um dos Mantras recitados antes do Chakra afirma que cada Patra ali oferecido é como uma grande oferenda (Ahuti) numa cerimonia de fogo onde Brahman é o fogo, a oferenda e o rito com seus Mantras. Portanto cada recitação feita em Chakra Puja equivale à dez recitações feitas em outras ocasiões. Neste momento o Sadhaka, desejoso de alcançar frutos no mundo, não deve se entregar à indolência ou à divagação estéril mas sim perseverar em suas disciplinas. Os frutos das ações (Karma Phala) executadas  em Chakra são colhidos rapidamente. Jaya Ma !

Nenhum comentário: